2

Babá x Creche – O Dilema

Por Carol

A mãe que trabalha fora que nunca passou por esse dilema que atire a primeira pedra. Gente, sério, quando a pessoa pensa em ficar grávida, deviam imediatamente enviar um manual pra ela, junto com um termo de ciência, explicando que ser mãe não é só cuidar de um bebezinho tchuqui tchuqui mil amores. Tem tanto pepino pra resolver que não dá nem pra contar!!!

Quando eu estava grávida já comecei a ver creches pra colocar o João quando minha licença maternidade terminasse. Eu não conhecia nenhuma babá de confiança, então era muito claro pra mim que ele iria pra uma creche. Muitas visitas depois, o coração apertou. Colocar meu bebezinho de 5 meses num lugar tão diferente estava me torturando. Aí surgiu uma luz no fim do túnel, e consegui uma babá quase perfeita: de confiança e conhecida (era minha diarista há um ano já, e conhecida já há muito tempo), com experiência (já havia sido babá por muitos anos), calma, tranquila, carinhosa… tudo de bom!

Voltei pro trabalho tranquila, feliz com minha escolha. E assim ficamos por 5 meses.. 5 lindos meses de paz e calma.. até o dia que ela pediu demissão. Hahahah! Gente, meu mundo caiu. Ela mora muito longe (em St. Antônio do Descoberto, e eu em Águas Claras), estuda à noite, tem um filho pequeno e fica na minha casa das 7h às 18h. Tava puxado demais pra ela, eu entendo, mas fiquei muito triste.

Passado o trauma, tratei de procurar uma nova babá. Anunciei no jornal e tudo mais (TRAUMA, não façam isso em casa), e acabei encontrando uma no meu prédio, que trabalhava com uma família há quase 3 anos. Salário maior, vontade de mudar, criança que já tava indo pra escola, topou na hora, e os antigos patrões não se opuseram. A nova babá começou na segunda feira, e a antiga ainda fica junto com ela 2 semanas pra ensinar tudo. Vamos ver se vai dar certo..

Mas essa historinha toda foi pra chegar num ponto: o que é melhor, uma babá em casa ou um bebê na creche? Ai gente, tantos prós e contras, tanto detalhes, tanto tudo.. Vou dar a minha opinião: o melhor é o que é mais prático e confortável pra você, e o que que VOCÊ acha que é melhor pro seu bebê.

Na creche tem estímulos, brincadeira, desenvolvimento psicomotor, interação com outras crianças, conversa, preparo.. mas tem muito mais doencinhas (e aí o bebê precisa ficar em casa e você precisa ter um plano B), bagunça, barulho, sobrecarga (quando o bebê fica em período integral), férias escolares (que quase nunca coincidem com as férias da mãe ou do pai). Além disso, na maioria das vezes você precisa pagar a creche e uma diarista, pelo menos, pra manter a casa organizada.

Já em casa com a babá tem tranquilidade, rotina, limpeza e segurança pra saúde do bebê, que raramente adoece, férias quando você tirar férias, comida feita do seu jeito e casa, geralmente, arrumada. Por outro lado, não tem estímulo (as babás quase nunca têm esse preparo), tem muita TV, não tem aquele contato com outras crianças e se a babá faltar você vai precisar de um plano B também.

Eu escolhi a babá. Eu prefiro ter o João em casa nesse começo de vida, na ótima rotina dele, tirando os cochilinhos que ele (e eu!!) tanto gosta, sem pegar uma gripe por semana. Se tudo der certo, entre 1 ano e meio e dois ele vai pra creche por meio período, e o outro fica em casa com a babá. Mas a nova babá já chegou pra me mostrar que as coisas não são tão fáceis assim, e que ela não se parece em quase nada com a babá anterior: fala mais que os cotovelos, é cheia de amizade com as outras babás do prédio (e cheia de tititi também) e já chegou ligando minha Nespresso e tomando um cafezinho (sim, acreditem). Pelo menos parece ser cuidadosa e carinhosa, e a criança que ela cuidava adora ela. Então vamos ter fé que vai dar certo!

E vocês, já passaram por esse dilema? Optaram pela babá ou pela creche? Estão satisfeitas? Contem suas histórias pra gente ver que não estamos sozinhas nesse mundo de dificuldades maternas!!

3

Para sair da rotina – Tchibum no lago!

Por Tarsila

Às 8h da manhã já estamos postando foto no Instagram na beira do lago Paranoá. Por dois finais de semana seguidos esse foi nosso programa família de sabadão.

foto (45)

No geral, as crianças acordam cedo e ficar em casa sem colocá-las para gastar energia é terror e pânico. Ir ao parquinho da quadra, dar uma voltinha de bike e tomar um picolé são programas sucesso lá em casa. Mas colocar o pé no lago foi TOP, pros papais e pros meninos!

De véspera ligamos para deixar reservado o horário das pranchas SUP com a empresa que faz o aluguel no Clube das Nações, que fica ali ao lado da Academia de Tênis. É só por garantia mesmo, esse horário tem prancha de sobra!

31

Quando chegamos lá, só tem o lago, a grama aparadinha, a areia limpinha e a gente! Cada um pega seu colete, dá uma voltinha na prancha com o papai. A mamãe fica administrando a garotada e fotografando. Arrumo uma sombrinha gostosa estrategicamente posicionada perto do lago e do parquinho. Eu estico as canelas numa espreguiçadeira e curto uma brisa geladinha.

11

14 31

Aproveitamos bem o sol da manhã. As crianças brincam na beira do lago, dão uns mergulhinhos, brincam no parquinho e correm pela grama. Não tem como não ser divertido e agradável. Levo uns belisquetes e armamos um pique-nique! Às 11h levantamos acampamento, hora que o espaço começa a virar point e a gente tem que se organizar para chegar a tempo de filar um almoço família na casa da bisa.

22

40

Não precisamos de muito para ser feliz. Recomendo o programa!

Serviço: Katanka – Aluguel prancha de SUP R$ 30 para 90 minutos de uso.

2

Pra Rir Um Pouco

Por Mães Que Agem

Tem filho com preguiça de ajudar por aí?

Tira1

Bom final de semana!

 

0

Esmalte da Semana

Por Carol

Depois da tragédia das unhas da semana passada, cujo esmalte horrível não durou até o jogo de domingo mesmo depois de ter sido levemente melhorado, resolvi não inventar essa semana e ir numa cor certeira (pra mim, pelo menos).

Além disso, dei uma estressada e cortei todas as unhas no nível zero, então precisava de uma corzinha bonita pra enfeitar os cotoquinhos!

Fiz as unhas em casa ontem, por falta de tempo, vontade e dinheiro. Acho que vou abandonar o salão e voltar a fazer minhas próprias unhas, vamos ver..

Enfim, o esmalte da semana é um douradinho acobreado da marca Catrice, que comprei numa farmácia na Alemanha! Lindo, barato e de ótima aplicação, além de secar muito rápido!

E aí, compensou a feiura da semana passada?? E vocês, estão de unhas feitas??

20130703-081737.jpg

20130703-081745.jpg

0

Prega, estica e puxa. Cera caseira já!

Por Tarsila

Apesar de usar o ultra-power-prático depilador elétrico, ainda não abandonei a cera. A vantagem é que ela alcança qualquer parte do corpo, até mesmo onde o sol não bate! rs…

Tenho apego à cera caseira feita de açúcar e Tang de limão. Mas tem que ser só com Tang? Sim senhora!!! Por quê? Porque todas as vezes que fiz com outras marcas o treco desandou. Coincidência talvez, mas o fato é que só faço essa marca de suco de saquinho.

Já comprei cera fria, cera quente industrial, cera negra e para fazer em casa só me adaptei com a feita de açúcar e Tang de limão. As grandes vantagens: ótima aderência, de fácil limpeza e barata. Se você gruda a cera e desiste de puxar ou simplesmente quer limpar a área depois de depilar, você usa água e “zé fini”. Essas outras industriais não são dissolvíveis em água. Grudou, minha filha, lascou! Puxa de qualquer jeito ou chama um bombeiro pra te ajudar a tirar. Os óleos removedores não são eficientes.

Eu faço sempre duas receitas e divido em potes diferentes. Depois, aqueço-as no microondas à medida que vou necessitando. Bastam dois minutos para ficar quente e líquida o suficiente para usar. Passo a cera diretamente na pele e puxo com aqueles papéis que parecem tecido e que são vendidos em farmácia ou loja de cosméticos, no geral, vem com 100 unidades.

Para cera aderir bem ao pelo é importante ter a área limpa, livre oleosidade e umidade. Nas axilas, por exemplo, eu aplicava talco para garantir que estava sequinha, porque mesmo lavando, dava uma suadinha.

Então anote aí o modo de preparo. Já aviso, dá vontade de comer!

Ingredientes:

ingredientesModo de preparo:

Coloque todos os ingredientes numa panela e leve ao fogo médio.

Mistura panela

Quando levantar fervura, marque 15 minutos para testar o ponto. Despeje uma gota generosa superfície fria. Se a gota esparramar é que ainda não está no ponto. A gota deverá se manter firme. Espere esfriar um pouquinho e puxe um fio. Quando esticar sem romper estará no ponto.

Página ponto

A calda ficará bem clarinha, quase transparente. À medida que vai aquecendo no microondas é que ela vai caramelizando.

Cor

A calda fica muito quente e demora a esfriar. Cuidado ao aplicar na pele, pois arranca pelo e pele tudo junto!

0

Protegendo as Quinas do Berço

Por Carol

Logo que João aprendeu a ficar em pé sozinho, viciou. Ele já acordava em pé, segurando na grade do berço. Rapidamente, ele também aprendeu a roer o berço (sim, minha gente, bebês mutantes são assim), e o risco de alguma coisa dar errada tava grande (arrancar uma farpa, desequilibrar e bater a boca/dentes..).

Fomos atrás de uma solução e encontramos na Leroy Merlin, um protetor emborrachado para quinas que serviu perfeitamente! Ele é colado com duas fitas dupla face super suaves, que não agridem o móvel e podem ser facilmente retiradas depois (talvez até um pouco facilmente demais, já que João mutante conseguiu arrancar um pedaço sozinho).

Quina

Compramos 3 unidades e contornamos o berço todo, fazendo os devidos cortes pra completar áreas menores. João amou (inclusive, ele deve achar que o berço dele virou um graaande mordedor) e eu fiquei muito mais tranquila em deixá-lo brincando no berço. Agora, se ele desequilibra e bate a boca, não dói tanto, e o risco de cortar a boca ou quebrar o dentinho é mínima!

QuinaJ

Existem vários modelos, de várias marcas, em vários materiais diferentes, e vendidos na Leroy e em casas de produtos infantis! Pesquisem, procurem, vejam o melhor para o uso de vocês e protejam suas quinas! Vale muito a pena! Recomendadíssimo!